O que é e como tratar a Incontinência Urinária

A incontinência urinária é uma condição que ocorre em várias doenças, afetando todos os grupos populacionais e idades, embora seja mais comum em mulheres do que em homens.
Por sua frequência, gravidade, conotações psicossociais e econômicas, é uma das patologias mais importantes da nossa sociedade. Afeta as mulheres, idosos, crianças e pacientes neurológicos, não só como um problema médico, mas social e psicológico, Indivíduos  com incontinência urinária geralmente tendem a limitar sua vida social, a sua capacidade para visitar amigos, parentes, se preocupam com mau cheiro, sentem-se deprimido. A incontinência urinária também gera custos económicos pesados porque não só pelo gasto farmacológico, fisioterápico ou tratamento cirúrgico, mas também uma série de custos ocultos, tais como fraldas, despesas de lavanderia, perfumes, desodorantes, cremes para proteger pele, etc.
A incontinência urinária é, objetivamente, a perda involuntária de urina. Pode ser uma perda leve, moderada ou intensa, sempre de forma involuntária. Deve ser considerada uma doença com diferentes causas que devem ser investigadas e tratadas do ponto de vista médico e psicossocial.  Neste contexto, os tratamentos atuais oferecem uma grande variedade de respostas, de terapias farmacológicas, cirurgias convencionais  e minimamente invasivas.
A meta ideal de qualquer tratamento da incontinência é restaurar a micção completa, espontânea e voluntária , com intervalos secos socialmente aceitáveis entre a micção. Embora este seja o objetivo principal,  para algumas pessoas em situações severas, a meta será alcançar uma maior retenção e evitar que estejam molhados.
Os tratamentos medicamentosos:  hoje temos uma série de medicamentos que diminuem as contrações vesicais involuntárias e aumentam a resistência do esfíncter. Os tratamentos cirúrgicos: em adição às técnicas cirúrgicas convencionais há atualmente numerosos pequenos dispositivos ou próteses disponíveis que permitem reforçar os esfíncteres que controlam a excreção da urina. Estes dispositivos podem ser colocados através de pequenas incisões de menos de 1 cm. Estas técnicas de cirurgia denominadas de minimamente invasiva permitem a recuperação rápida dos pacientes com a reinserção social e laboral imediata. Entre os diferentes tipos de tratamento, podemos citar também as adaptações alimentares  que consistem em adaptações de líquidos e alimentos que comemos para auxiliar no alcance do objetivo do tratamento da incontinência.
O que se torna importante quando se trata de incontinência urinária é abordar o problema o quanto antes com o médico urologista, para que o diagnóstico completo seja realizado e os tipos de tratamento sejam definidos individualmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *